Policia privativa da Mason & Barry

Data da Fundação: 
1875-??-??

O Corpo de Policia Privada da Mina de S. Domingos foi criado em 1875.

Serviços Prestados: 

O Serviço policial até 1874 na mina de S. Domingos foi feita por cabos de policia e um regedor , nomeados pela respectiva auctoridade administrativa de Mertola; Por um destacamento ( desde 1865 ) de infantaria ou caçadores com a força de 25 homens , comandados por um oficial subalterno tendo este destacamento sido retirado da mina em 1883 em virtude da empresa ter considerado dispensavel seu auxilio. E igualmente por um corpo de guardas , devidamente armados , empregados em vigiarem de dia e de noite pela segurança das propriedades da empresa . Uma notavel sedição , que pos em risco a vida dos empregados superiores da mina , determinou , em 1865 , a requisição da força armada para manter a ordem entre a população mineira . As rixas e desordens , tão frequentes antigamente em S. Domingos , eram consequencia forçada da aglomeração n'uma charneca de uma população perfeitamente heterogenea , com posta de individuos de todos os paises , e muitos d'eles de conducta pouco exemplar , a quem sobremodo convinha o trabalho subterraneo na raia de duas nações . Mais tarde , em 1870 e 1871 , quando o operario alemtejano já estava geralmente instruido no serviço mineiro , para que tem natural disposição , podendo a provincia fornecer braços suficientes para os trabalhos de S. Domingos sem se tornar tão necessario o concurso dos forasteiros , a ordem publica na mina foi sendo cada vez menos alterada . N'esses anos resolveu a empresa mandar fechar muitas casas de venda de vinho e bebidas alcoolicas , que exerciam a sua industria em pontos afastados do centro da povoação e por isso longe da acção policial , e proibiu tambem que nos domingos e dias santificados estivessem abertas quaisquer outras tabernas . Ordenou ainda que os pagamentos das empreitadas , que eram feitos no segundo dia de cada mes ( dia de pagamento geral para todos os empregados e operarios do estabelecimento ) , tivessem lugar em qualquer dia em que o contractista declarasse ter concluido o seu trabalbo . Estas medidas contribuiram poderosamente para a manutenção da ordem . As interminaveis discussões , e às vezes serias desordens , entre os empreiteiros e os seus peões , o que dava a povoação um aspecto perfeitamente sedicioso , deixaram de ter lugar por assim dizer no mesmo momento para todas as empreitadas da mina.
A reunião de um grande numero de operarios endinheira dos tendo à sua disposição tabernas abertas , onde se entregavam aos maiores excessos , nunca mais teve lugar . Hoje os serviços de empreitada , que principalmente abundam na mina , organisam - se e dissolvem - se sem que nunca a ordem seja alterada , porque quando qualquer partido ter mina o seu trabalho e fica á boa vida ainda todos os outros estão interessados em trabalhar para concluirem as suas tarefas , o que induz o pequeno numero de trabalhadores des occupados , não só pelo respeito devido á policia como por conveniencia propria , a tratar logo de procurar trabalho , e a não promover desordens . No estabelecimento de S. Domingos nunca se teem mani festado grèves . Este facto deve atribuir - se ao cuidado que a empreza tem tido em estabelecer minimos , perfeitamente ac ceitaveis , para os trabalhos de empreitada , em fornecer habitações comodas e baratas aos operarios , socorros pecuniarios , tratamento medico e medicamentos gratuitos , e em fim tudo quanto pode concorrer para augmentar o salario diario ou mensal do operario , o que ele difficilmente encontra nos trabalhos agricolas do pais ou em outros estabelecimentos mineiros portugueses ou espanhois . Em 1874 a força do destacamento foi elevada de 25 a 50 homens commandados por um capitão . N'esse ano a falta de braços obrigou a empresa a promo ver a emigração de operarios beirões , que trouxeram uma certa perturbação ao estado regular de sossego que se notava antes da chegada dos homens da Beira , os quais por uma infeliz coincidencia foram escolhidos entre os mais desordeiros de todos os trabalhadores da provincia , e que por isso mesmo já difficilmente encontravam trabalho nas suas terras . Mais tarde , e depois de organisado completamente um corpo de policia especial da mina a força do destacamento foi reduzida , como anteriormente , a 25 praças e um oficial . Este corpo de policia , formado por 12 a 16 homens recrutados , ordinariamente entre os soldados da reserva , é comandado por um chefe de esquadra .
Este empregado , apesar de ser pago pela empreza , exerce tambem o cargo de regedor , o que lhe permitte combinar o serviço de policia da mina com o da freguesia , e dá força le gal ao desempenho das suas funcções . Os seus subalternos são tambem cabos de policia , nomea dos pela administração de Mertola com o mesmo fim . Os antigos guardas , que desde o principio da mina foram destinados para vigiarem o estabelecimento , continuam ainda hoje no seu serviço de policia , embora não tenham ne nhum cargo official como os do corpo policial propriamente dito . O serviço d'estes guardas consiste , principalmente , em rondar de noite os quintalões , officinas , armazens e outros logares onde estão arrecadados os materiaes da empreza , em conduzir fundos para a mina , em servir de continuos nos es criptorios , etc. Os guardas recebem ordens do chefe da policia para o des empenho de todos os serviços de vigilancia , e dos chefes dos escriptorios no que respeita aos trabalhos internos , que lhes competem . A policia exerce a sua vigilancia sobre os quarteis dos ope rarios , vendas de vinho , mercado , etc. , etc. Os policias estão alojados confortavelmente em um quartel espaçoso construido especialmente para esse fim . Junto ao quartel está a casa do chefe de policia . O destacamento de infantaria ou caçadores , que estaciona na mina , tinha primitivamente o seu quartel e habitação para os oficiaes na povoação; mas ultimamente foi construido um novo quartel e residencia para o oficial , no sitio dos Salgueiros , a 10 kilometros da mina . A estação dos Saigueiros comunica pelo telegrafo e pelo caminho de ferro com a mina e com o porto do Pomarão , podendo assim a força dirigir - se rapidamente a qualquer d'estes pontos , quando seja necessaria a sua presença . Esta mudança de aquartelamento foi exigida superiormente para preservar os soldados das febres intermitentes , que grassam na povoação de S. Domingos no verão e outono . A empresa gratifica diariamente cada praça com 20 réis , os sargentos com 40 réis e fornece uma ração de carneiro a cada um dos soldados . Os destacamentos são rendidos todos os dois mezes , sendo as bagagens da força transportadas á custa da empresa . Orçam por 5505000 a 700 $ 000 réis as despesas anuaes com os destacamentos . Desde que os trabalhos da Achada do Gamo tomaram maior desenvolvimento , foi estabelecida n'aquele ponto uma estação de policia . (Pedro Victor da Costa Sequeira em 1883)

Funcionários: 

António Vasquez Maximo - https://www.cemsd.pt/node/2822

Pedro Tirado Rodrigues - https://www.cemsd.pt/node/2961

António das Neves - https://www.cemsd.pt/node/2669

António do Rosário https://www.cemsd.pt/node/328

Elesiário Joaquim Sequeira https://www.cemsd.pt/node/2972

João de Matos https://www.cemsd.pt/node/6084 Chefe da policia em 1924

José dos Santos https://www.cemsd.pt/node/6005 chefe da polícia em 1904

Júlio Augusto Bernardino da Silva https://www.cemsd.pt/node/5601 Chefe da Polícia em 1874

Francisco Manuel Vargas https://www.cemsd.pt/node/6367

Francisco Pires dos Santos https://www.cemsd.pt/node/2960

José Lúcio Alves https://www.cemsd.pt/node/3733 Chefe da policia da Mina em 1903 e 1907 e 1910

Manuel António Gomes https://www.cemsd.pt/node/2693

Manuel Eduardo Alen Camacho https://www.cemsd.pt/node/10314

Manuel António 1906

António Jorge https://www.cemsd.pt/node/3602 1891

Francisco Godinho 1909

Manuel Zarcos 1885

Augusto Romão 1903

Manuel Martins 1906

Francisco Manuel

Manuel Martins Coriel 1908

José Francisco Molarinho 1893

Manuel Afonso 1904

Duarte Alves 1909

Manuel Fermino 1897

Francisco Manuel Afonso 1903

José Pedro 1910

- António Nogueira

- Domingos Afonso (1905) https://cemsd.pt/node/12615