Visita de Fontes de Melo à Mina de São Domingos

António Maria de Fontes Pereira de Melo, foi um dos principais políticos portugueses da segunda metade do século XIX, nasceu em Lisboa, a 8 de Setembro de 1819, filho de João Fontes Pereira de Melo (Caia e São Pedro, Elvas, 26 de Janeiro de 1780 - Santa Isabel, Lisboa, 28 de Outubro de 1856), ministro de Estado honorário, e de D. Jacinta Venância Rosa da Cunha Matos (Santa Engrácia, Lisboa, 20 de Abril de 1781 - ?), sendo o quarto na ordem de nascimento, de seis irmãos.
De entre os cargos políticos de relevância destaca-se o de Presidente do Conselho de Ministros (equivalente ao actual Primeiro Ministro) que desempenhou em 3 alturas distintas.

Biografia Completa de António Maria de Fontes Pereira de Melo

Noticia da visita

Em Junho de 1874, Fontes Pereira de Melo visitou Alentejo e Algarve.
...”Naquela vila, pernoitaram, encaminhando-se na manhã seguinte para o rio, onde tomaram às 11h00 o barco para o Pomarão, com o objetivo de visitarem a Mina de São Domingos. Recorde-se que esta constituía já um importantíssimo centro mineiro, cuja lavra se iniciara em 1854.
No Pomarão, era a comitiva aguardada pelos empregados superiores da mina, D. Carlos e Júlio Mascarenhas que encaminharam o chefe de governo e demais entidades para a linha ferroviária da empresa.
Segundo o “Diário de Notícias”, o comboio era constituído pela locomotiva “Lisboa” e três vagões, com 30 cadeiras, uma das quais especial, branca e dourada, destinada a Fontes Pereira de Melo.
A chegada a São Domingos deu-se pelas 14h30, sendo esperados pelo Sr. Júlio Bernardino da Silva, guardas da mina, que formavam alas para que os hóspedes passassem pelo centro, operários, prior da freguesia de Corte do Pinto e capelão da mina.
Foram então encaminhados para uma casa, que ostentava à entrada um arco triunfal, com a inscrição “Bem Vindo”, onde se hospedaram. Depois de um breve descanso, iniciou-se pelas 17h00 o périplo ao couto mineiro (mina, igreja, armazéns, hospital e oficinas).
Ao fim da tarde, pelas 19h00, teve lugar o jantar que se prolongou até às 0h00. Durante o repasto, abrilhantado por uma banda composta por nove empregados da mina, houve diversos discursos e brindes a suas majestades, à Constituição e ao visconde de S. Domingos.
Nessa noite, a aldeia iluminou-se, com luminárias na igreja, no palacete, que servia de escritório, e na casa onde se havia hospedado a comitiva. Subiram também ao ar muitas girândolas de foguetes.
Na manhã seguinte, dia 24, pelas 11h00 e após o almoço, regressaram os ilustres visitantes ao Pomarão, no mesmo comboio da véspera.
Naquela aldeia, separaram-se do séquito as autoridades do distrito de Beja, seguindo Fontes Pereira de Melo e os restantes elementos, de barco, para Vila Real de Santo António.”